Grupo especial: domingo marca volta do Império Serrano a elite do carnaval

De voltar ao lugar que lhe é direito na elite do Carnaval, o Império Serrano abre a maratona dos desfiles do Grupo Especial do Rio. A partir de 21h15, a versão 2018 do espetáculo ganhará a Passarela do Samba, para limpar a imagem ruim deixada pelos acidentes de 2017. Nesta primeira metade da festa, além da verde e branco da Serrinha, vão passar São Clemente, Vila Isabel, Paraíso do Tuiuti, Grande Rio, Mangueira e Mocidade.

Conheça os enredos de cada uma:

Império Serrano. O Reizinho de Madureira apresenta “O império do samba na rota da China”, do carnavalesco Fábio Ricardo. Uma jornada colorida viagem pela cultura chinesa, a partir de suas tradições milenares, até chegar na modernidade de uma das maiores economias da Terra.

São Clemente. A representante da Zona Sul será “Academicamente popular” na avenida, com o enredo que festeja os 200 anos da Escola de Belas Artes. O carnavalesco Jorge Silveira vai concentrar sua narrativa na contribuição da instituição à folia, com artistas como Fernando Pamplona, Rosa Magalhães, Maria Augusta e Leandro Vieira, entre muitos outros.

Vila Isabel. Uma das grandes favoritas do ano, a azul e branco encenará uma grande viagem no tempo, das primeiras descobertas da humanidade até a era da tecnologia. Tema com a cara de Paulo Barros, o carnavalesco mais badalado da festa. “Corra que o futuro vem aí” parte da descoberta do fogo e fecha com um par de interrogações: qual futuro o homem deseja para o planeta, e o que pode fazer por ele?

Paraíso do Tuiuti. Viva! Um enredo crítico! “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, de Jack Vasconcelos, mergulha na história da maior chaga social brasileira e termina com dura crítica à reforma trabalhista e o derretimento das relações entre patrões e empregados no país.

Grande Rio. A trajetória do revolucionário Chacrinha, na versão sempre criativa do ícone Renato Lage. Assim a tricolor de Caxias pisará o solo sagrado dos bambas para tentar, afinal, seu primeiro título. “Vai para o trono ou não vai?” celebrará um dos programas de auditório mais populares da história televisiva.

Mangueira. Artista mais importante da festa, Leandro Vieira fez do limão das verbas cortadas pela prefeitura uma aguardada limonada. “Com dinheiro ou sem dinheiro eu brinco” vai relembrar carnavais antigos para atestar que não não há crise ou dificuldade que impeça a folia de contagiar o público.

Mocidade. A primeira metade da maratona do paticumbum começará pela China e terminará na Índia. “Namastê… A estrela que habita em mim saúde a que existe em você” vai mostrar as semelhanças entre as culturas brasileira e indiana, destacando a similaridades entre países tão distantes. É a Estrela Guia da Zona Oeste em busca do bi.